Siga o Blog, nas redes sociais

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Tríade



São três coisas silenciosas:
a neve que cai... a hora
antes do amanhecer... a boca de alguém
que acabou de morrer...

Eu chamaria isso de uma tradução absolutamente perfeita. É claro que foi favorecida pela própria extensão do poema, mas realmente a síntese conseguida por Abgar Renault é de uma fidelidade absoluta.

Outro caso de espantosa felicidade é o do pequeno poema Song, da poetisa norte-americana Louise Bogan. Reparem bem na primeira estrofe:

Love me because I am lost;
Love me that I am undone.
That is brave, - no man has whished it,
No one.

Canção

Ama-me que estou perdida;
ama-me que sou apenas pó.
Será heróico; homem algum o quis,
Nem um só!