Siga o Blog, nas redes sociais

sábado, 26 de janeiro de 2013

Os Caminhos de Santiago de Compostela em França



Para chegar a Espanha, os peregrinos de Santiago de Compostela podem seguir quatro itinerários que atravessam França. Nestas vias históricas foram construídos numerosos monumentos para acolher os peregrinos; caminhos e edifícios constituem um dos primeiros itinerários culturais europeus reconhecidos pelo Conselho da Europa, em 1987, estando inscritos como património mundial da Unesco desde 1998.
Na Idade Média, um grande número de peregrinos católicos vindos de toda a Europa encontram-se no célebre santuário de Compostela, situado na extremidade ocidental da Península Ibérica, na Galícia, com o intuito de venerar o relicário do apóstolo Santiago.
Os quatro caminhos
Para chegar ao santuário, são numerosos os peregrinos que atravessam França. “As necessidades espirituais e físicas dos peregrinos foram satisfeitas graças à criação de um certo número de edifícios especializados, em que muitos foram criados ou posteriormente desenvolvidos sob as secções francesas”, de acordo com o sítio Web da Unesco.
Paris, Vézelay, Le Puy e Arles
As vias francesas de peregrinação, descritas no seu «guia do peregrino» por Aimeri Picaud, monge de Poitou do Séc. XII, são as de Paris, Vézelay, Le Puy e Arles. São conhecidas pelas seguintes denominações: a Via Tolosana (ou via de Toulouse, que parte de Arles), a Via Podiensis (que parte de Puy e atravessa especialmente Cahors), a Via Lemovicensis (ou via limusine, que passa por Vézelay, Perigueux…) e a Via Turonensis também denominada o “Grande Caminho” (que parte de Paris e passa por Tours, Bordeaux).
As vias de Paris, Vézelay e Puy reúnem-se no País Basco, junto aos Pirenéus e, após transpor a fronteira, formam o caminho de Navarra. Em Espanha, em Puente la Reina, a via de Arles une-se ao Caminho de Navarra para formar o Caminho francês.
Paisagens de cortar a respiração
A marcação dos caminhos francês e espanhol é efetuada com o apoio do Instituto Europeu de Itinerários Culturais.
Os caminhos permitem descobrir regiões riquíssimas, e paisagens magníficas, grandiosas e desconhecidas de França, vilas profundamente cativantes. Das quatro vias históricas, a mais antiga e a mais rica em monumentos romanos é a de Puy-en-Velay, grande local de peregrinação.
Os monumentos, a Concha de Saint-Jean-d'Angély
São numerosos os estabelecimentos de acolhimento aos peregrinos (hospitais, capelas, albergues...) e monumentos para testemunhar a sua devoção (basílicas, capelas, estátuas, frescos...) erguidos ao longo das vias; 71 deles encontram-se inscritos como património mundial.
Entre outros locais remarcáveis, a igreja de Notre-Dame du Port em Clermont-Ferrand, a abadia Sainte-Foy de Conques, a ponte sobre Lot e a igreja de Saint-Fleuret em Estaing, a abadia Saint-Pierre e o claustro de Moissac, a catedral de Puy-en-Velay, a catedral Saint-Front em Périgueux, a igreja de Saint-Sauveur e a cripta de Saint-Amadour em Rocamadour, a basílica de Saint-Sernin de Toulouse, a antiga catedral de Notre-Dame em Saint-Bertrand-de-Comminges, a abadia real de Saint-Jean-Baptiste em Saint-Jean-d'Angély…