Siga o Blog, nas redes sociais

domingo, 10 de março de 2013

Delírio


Na penumbra,
uma indefinível alegoria
salta na trêmula paisagem
e principia uma estranha
dança noturna.


Passos silenciosos
movem-se elásticos
em meio à névoa úmida
- vôos espetaculares
sem música.


Gestos grandiosos,
o corpo envolto em mímica
revela o deslumbramento
solitário e, ao mesmo tempo,
mágico e absoluto.


Instante único,
encontro de almas gêmeas,
o toque ímpar no extraordinário...
Fuga da realidade
em pleno sol da meia-noite.