Siga o Blog, nas redes sociais

sábado, 13 de abril de 2013

O verdadeiro Homem de Honra: Carl Maxie Brashear.



Carl foi o primeiro mergulhador-mestre americano negro da Marinha dos Estados Unidos. Em 2000, sua história foi retratada no filme Homens de Honra (Men of Honor), interpretado por Cuba Gooding, Jr.

Carl nasceu em 1931, em uma pequena fazenda. Sua família era muito pobre, mas isso não impediu que Brashear tivesse o sonho de tornar-se marinheiro.

Apesar de não ser o primeiro afro-americano mergulhador (haviam três afro-americanos mergulhadores na Segunda Guerra Mundial), ele foi o primeiro a se formar na Diving & Salvage School. Contudo, em janeiro de 1966, uma bomba nuclear B28 foi perdida na costa de Palomares, Espanha. Brashear estava servindo a bordo do USS Hoist (ARS-40) quando foi chamado para ajudar na procura da bomba para a força aérea. A ogiva foi encontrada após dois meses e meio de procura. Durante a recuperação, em 23 de março de 1966, uma linha usada para o reboque arrebentou, causando um estrago irreparável na perna de Brashear, logo abaixo do joelho.

Abalado com infecções persistentes, necrose e anos de fisioterapia em vão, Brashear convenceu os médicos a amputarem a parte inferior de sua perna. Aos anos de reabilitação e disputas em tribunais, ele se tornou o primeiro amputado a ser reintegrado como mergulhador. Sempre afirmava que "Eu não vou deixar ninguém roubar meus sonhos.

Em 1970, ele se tornou o primeiro afro-americano mergulhador chefe da Marinha dos Estados Unidos, e serviu durante mais de 10 anos, sendo promovido como o primeiro contramestre negro da Marinha dos Estados Unidos. Brashear resumia suas crenças na frase: "Não é um pecado cair. É um pecado continuar no chão."

Texto de Diego Vieira
Administração Imagens Históricas
O verdadeiro Homem de Honra: Carl Maxie Brashear.

Carl foi o primeiro mergulhador-mestre americano negro da Marinha dos Estados Unidos. Em 2000, sua história foi retratada no filme Homens de Honra (Men of Honor), interpretado por Cuba Gooding, Jr.

Carl nasceu em 1931, em uma pequena fazenda. Sua família era muito pobre, mas isso não impediu que Brashear tivesse o sonho de tornar-se marinheiro. 

Apesar de não ser o primeiro afro-americano mergulhador (haviam três afro-americanos mergulhadores na Segunda Guerra Mundial), ele foi o primeiro a se formar na Diving & Salvage School. Contudo, em janeiro de 1966, uma bomba nuclear B28 foi perdida na costa de Palomares, Espanha. Brashear estava servindo a bordo do USS Hoist (ARS-40) quando foi chamado para ajudar na procura da bomba para a força aérea. A ogiva foi encontrada após dois meses e meio de procura. Durante a recuperação, em 23 de março de 1966, uma linha usada para o reboque arrebentou, causando um estrago irreparável na perna de Brashear, logo abaixo do joelho. 

Abalado com infecções persistentes, necrose e anos de fisioterapia em vão, Brashear convenceu os médicos a amputarem a parte inferior de sua perna. Aos anos de reabilitação e disputas em tribunais, ele se tornou o primeiro amputado a ser reintegrado como mergulhador. Sempre afirmava que "Eu não vou deixar ninguém roubar meus sonhos.

Em 1970, ele se tornou o primeiro afro-americano mergulhador chefe da Marinha dos Estados Unidos, e serviu durante mais de 10 anos, sendo promovido como o primeiro contramestre negro da Marinha dos Estados Unidos. Brashear resumia suas crenças na frase: "Não é um pecado cair. É um pecado continuar no chão." 

Texto de @[100002516820907:2048:Diego Vieira]
Administração Imagens Históricas