Siga o Blog, nas redes sociais

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Bicicloteca: a biblioteca que vai até você



“Um país se faz com homens e livros”, disse Monteiro Lobato. E é com o propósito de levar livros às pessoas e de despertar a curiosidade pela leitura que surgiu um movimento cultural independente: a Bicicloteca; uma bicicleta que empresta livros gratuitamente.

Robson Mendonça e sua biblioteca ambulante (Ana Carolina Magalhães)

A biblioteca itinerante nasceu da necessidade de levar cultura para as pessoas sem acesso à leitura. Sendo assim, as ruas da cidade de São Paulo viraram palco de uma ideia elaborada por um ex-morador de rua.

Robson Mendonça, 62, morou nas ruas por seis anos e sempre foi um amante de livros. No entanto, pela sua condição social teve problemas em ter acesso à cultura por causa do preconceito.

“Eu queria ler, mas dentro da biblioteca tinha aquilo de o pessoal levantar da mesa porque eu era morador de rua, ninguém queria ficar perto de mim, mesmo quando eu estava de banho tomado. E eu não podia nem retirar um livro, pois não tinha comprovante de residência”, conta.

Sem condições financeiras, Robson foi atrás de pessoas que pudessem tornar o seu sonho realidade. Foi com a ajuda da ONG Instituto Mobilidade Verde que ele conseguiu desenvolver o seu projeto na capital.

“Queremos apoiar as famílias que estão em condições de rua para que elas possam retornar ao trabalho. É um trabalho de inserção. As pessoas não estão fora da sociedade, o que elas estão é fora da comunidade. E o livro tem esse poder de transformar”, comentou Lincoln Paiva, presidente do IMV.

A ideia de criar uma bicicloteca surgiu da necessidade de levar livros para os moradores de rua através de um veículo leve, que não gerasse custos com combustíveis e que não precisasse de um condutor com habilitação. Trata-se de um triciclo com capacidade para 150 kg de livros, que facilita o trabalho das comunidades que já atuam com cultura e inclusão social através da leitura.

Assim, desde maio de 2011, a Bicicloteca já emprestou aproximadamente oito mil livros para moradores de rua e pessoas interessadas. Desse número, 7.600 foram devolvidos.

“O que muitas pessoas achavam é que não ia ter retorno, o morador de rua não ia devolver o livro. Mas eles vão pegando e devolvendo”, afirmou.

Robson fica de segunda a sexta em diversos pontos do Centro de São Paulo fazendo os empréstimos, como na Avenida Paulista, Praça da Sé, Praça da República e na Rua Barão de Itapetininga. Foi escolhido este itinerário por que o foco do projeto é o morador de rua e é nesses lugares que eles mais se concentram.

Além dos empréstimos de livros semanais, a Bicicloteca possui internet e é usada para ajudar os moradores em inscrições de cursos educacionais e na elaboração de documentos. Quem quiser também pode doar livros para a biblioteca itinerante, basta deixá-los na Rua José Bonifácio, 398 – perto do Metrô Anhangabaú.

Para 2012, o sonho de Lincoln é expandir o projeto e ter três Biciclotecas rodando em São Paulo e nove no resto do país. “Não é um projeto só de São Paulo, a ideia é ir para o resto do Brasil”, finalizou o presidente.