Siga o Blog, nas redes sociais

quinta-feira, 30 de março de 2017

Resenha do Livro “Pelo ralo” de Ítalo Anderson



 Ao ler o livro “Pelo ralo” percebemos uma brincadeira entre o escritor e as palavras. Uma brincadeira que faz nós leitores admirar como em poucas palavras a poesia pode dizer tudo e ao mesmo tempo nada.

Um estilo de escrita simples, mas que inspira fazendo nós amantes da literatura se apaixonar percebendo que a poesia pode estar em qualquer lugar (Pelo ralo, Só (I), Da Índia e entre outros).
Como diz a Escritora Flávia Assaife no Prefácio do livro:
“Poesia é todo sentimento que aflora individualmente em cada escritor e compartilhado com cada leitor o faz vibrar no mais profundo tom que o acaricia em cada letra, em cada palavra, em cada verso.”
Notamos isso nitidamente quando lemos vendo também como cada palavra carrega um sentimento especial dentro da poesia deixando ela encantadora e prazerosa quando é lida.
Como nessa poesia chamada “Mandala”:
Desejo a tua inexistência
que no meio dessa mandala
teu rosto não esteja
A fim de dar fim nessa saudade
que dolorosamente me corteja.

Percebemos nessa poesia curta como o poeta expressa o sentimento que é aflorado em si e passada para o papel. Ao analisarmos parcialmente vemos que o eu-lírico expressa um sentimento que aparenta ser de algo que ele quer se esquecer, mas não consegue e espera no meio dessa mandala   que vive dolorosamente corteja faça o esquecer.
Também percebemos como uma poesia curta pode dizer tudo e ao mesmo tempo nada, pois percebemos um certo desapontamento do eu lírico que tenta esquecer mais não consegue, mas menos tendo pouca expectativa acredita que consiga esquecer.
Com tudo o livro “Pelo ralo” é muito bem recomendado para todos que aprecia uma ótima poesia, pois além de ser uma leitura simples é muito prazerosa e deixa nós leitores com aquele gosto de querer ler um pouco mais.